16 dezembro, 2008

Viver Dezembro


Por isso quero viver cada dia
como se fosse um ano inteiro,
e mesmo estando em janeiro,
eu possa perceber no ar a pureza de dezembro,
e fazer desse amor que carrego,
um eterno tocar de sinos, de luzes que se acendem,
de beijos eternos que não saciam,
que pedem sempre mais...
E assim, se um dia eu partir,
terei a certeza de ter vivido a plenitude do amor,
e carregar comigo, não a dor da separação,
mas o gosto doce da paixão bem resolvida,
de almas que se tocam além dos corpos,
e assim, poderei dizer do amor vivido:
foi mais do que chama, mais que paixão,
foi a entrega permitida, plena e segura
do meu coração.






Debbie Boone/You ligth up my life

Um comentário:

Lê disse...

amor permitido.. entrega de meu coraçao....alem .. desde sempre... o reencontro...